(Casa de Filme) O Amor não tira férias – Parte I

O Amor não tira férias – título original “The Holiday”  é um filmezinho de 2006 sobre a casa de campo inglesa maravilhosa da Kate Winslet e um blusão da Cameron Diaz que me faz procurar por algo semelhante toda vez que entro em lojas de roupas de lã . Provavelmente haja uma história ao fundo, mas eu só lembro da casa.

 

fachada principal

 

A SALA:

kate1

É uma casa de boneca, mas sem exageros. Existem muitos detalhes e todos os espaços da casa foram preenchidos. Tem um “ar” de conforto e casa de Vó! Quem gosta de casa “clean” e modernosas deve achar esse estilo pavoroso, mas é um dos meus preferidos. A maneira como a mobília te abraça e te faz ter vontade de tirar o sapato, ligar a lareira, colocar pantufas e sentar com uma xícara de chocolate quente na mão pra mim, é perfeita.

Pra chegar nesse estilo é preciso abusar dos tons pastéis (verde bebê, rosa bebê, azul bebê e amarelo bebê!), das estampas floridas e acessórios de madeira em tons cor de mel.  A única coisa lisa nessa sala, que eu vejo, é aquela almofada rosa escura no meio do sofá e as paredes, claro! Reparem que um papel de parede rebuscado aqui, causaria muita poluição.

Mas por que a sobreposição de estampados não gera a poluição visual que deveria?

Porque apesar das cores serem diferentes, a maioria dos tons está na mesma saturação de branco. Todos são acinzentados. Não existe cor pura misturada.

E é importante, extremamente importante , misturar tons de madeira com o pastel, ou vai acontecer isto:

tons pasteis

Fonte: http://www.i-decoracao.com/cores/tons-pasteis-decoracao-casa

Na minha opinião, a sala acima cruza a linha do pastel-demais-exagerado e cansativo. Minha casa não deve ser um quarto de bebê. No momento em que o piso é claro demais, junto com a mobília, o problema se cria!

Com o equilíbrio, temos isto:

kitchen the holiday

A cozinha da casa da Kate Wislet.

Não é o primeiro filme em que eu vejo mais de um abajour na cozinha. A gente não tem esse costume por aqui, mas o efeito de luminosidade que eles causam é bem aconchegante também. Aliás, poucas coisas são tão aconchegantes quanto a meia-luz.

Novamente, os tons pastéis, as estampas floridas e a madeira.

Agora, o problema: ONDE encontrar esses móveis maravilhosos? A gente não mora na Inglaterra e nem é diretor de set de hollywood.

Aqui no sul, subindo a serra, ali por perto de Gramado é possível encontrar móveis maravilhosos. Mas é muita mão de obra e não é viável para quase ninguém. O que nos resta é a internet. Eu gosto bastante do http://www.meumoveldemadeira.com.br/ que segue uma linha mais clean, mas tem peças que se salvam.

Eu comprei essas:

meumoveldemadeira1

 Móveis do Meu Móvel de Madeira

Chegaram super rápido, bem embaladas e foram relativamente tranquilas de montar. Tenho elas há mais de um ano e adorei. Só não compro mais coisas de lá porque acabou o espaço!

Por sinal, essa sou eu nessa casa:

kate2

Essas camas de ferro se repetem milhares de vezes por vários filmes e combinam com a decoração, mas, na vida real, eu aconselho optar pelas camas com encosto fofo. Por exemplo, essa cama aí (linda), pra coitada da Cameron ver tv, ela precisaria de uma pilha de travesseiros QUE ficariam caindo entre os ferros. Ideal é não precisar de coisa alguma e poder se recostar em uma cama quentinha.  *Precisei editar isso, anos depois! Leia abaixo: *

EDITADO:
Optei por uma cama de ferro:

 

  • A madeira cedeu à umidade no Brasil e ao mofo principalmente. Camas com encosto no RS estavam FORA de cogitação.
  • Aqui no Canadá, a madeira e o encosto são um CONVITE para os bed bugs.
  • Camas de ferro são mais que bonitas… são extremamente funcionais!

 

No quarto, a mistura de pastel com estampas de flores novamente e lençóis listrados! Lençóis listrados são outra paixão do meu mundo!

Não encontrei o meu listrado no site (deve ter acabado) mas estes aqui estão em promoção na maravilhosa mmartan e combinam com o estilo:

lencolmmartan

Por sinal, tem muita coisa em promoção lá, no momento! Comprei o branquinho (creminho, na verdade) do meio… <3

O post continua amanhã… mas antes um detalha que eu amo nesse filme (mais um) a cabaninha das crianças:

playroom

Cresçam logo, meninas! (Mas não muito)

Até amanhã!

Share This:

Opinião: Tintas para lugares que mofam com facilidade

A cobertura de mofo existente ao lado do berço das gurias resolveu por mim que eu pintaria o quarto de novo nesse inverno. A ideia inicial era passar um selador antes, até comprei, mas fiquei com medo do cheiro perto dos meus bebês e usei só a tinta mesmo.

Os testes:

Coral decora: Pode ser (de repente) uma tinta muito boa, pra quem mora em Brasília. Mas aqui, no sul do sul, onde a umidade relativa do ar fica na média dos 80% no inverno (número inventado), foi um convite para o mofo. Menos de 4 meses de duração da parede limpa. Realmente, era uma parede difícil, parede sul com divisa para o banheiro, mas mesmo assim, mofou completamente em lugares que nunca mofavam antes. Fora o cheio! Duas semanas depois da pintura, o quarto continuava com um cheiro muito forte. A experiência com a coral decora foi um stress. E a cobertura achei bem fraca. Não recomento, não usarei no futuro.

Coral super lavável: Testei na parede da sala, que é uma peça leste. Leste não costuma ter muitos problemas com umidade, mas do jeito que o mundo anda molhado ao meu redor, eu diria que a tinta suportou bem a água (provavelmente por ser lavável, duh), e realmente não criou mofo algum.

Coral 3 em 1: Apostei nesse agora, pro quarto que ficou todo mofado com o Coral decora. Ainda não sei o resultado, mas por ser especificamente antimofo (anti-mofo?) espero que funcione. Se não der certo, eu volto pra super lavável.

Suvinil: A Suvinil tem duas cores que eu amo. E dá pra fazer pela coral, mas eu nunca tive a paciência necessária pra ver como era feita a equivalência. O problema é a textura da tinta, ela parece mais líquida que a coral. Faz mais sujeira, cobre menos. Por isso, desisti da Suvinil há anos.
Cores:
Apesar de eu não ser fã da Suvinil, a combinação de cores que eu mais gostei até hoje no quarto foi essa: Listrado nas paredes de papel couché e ouro branco e palácio de cristal no teto.
Eu não sou uma pessoa tons de azul e cinza, nas paredes, essas cores trouxeram um aspecto de “limpo” pro quarto que eu achei bem interessante e não pretendo abandonar.

Busquei algo parecido com a Coral 3 em 1 e fiquei horas (HORAS) escolhendo entre 3 cores idênticas e um bege clarinho:

cores do quarto

Acabei escolhendo o Branco Lagoa. Ficou meio “ugh…”. Estranhei, mas não odiei. E não vou pintar de novo tão cedo. O “Silêncio” no leque da loja era completamente verde. E a minha aversão a verde-hospital me deu medo de optar por esta cor.
A cor da sala, que deu muito certo e ficou magicamente no tom do papel de parede, foi escolhida completamente ao acaso:

O importante é esse resultado:

Mesmo em peças diferentes, harmonizar as cores da casa é importante. Uma vez, eu pintei a sala de laranja e verde cítrico (lembra da moda do verde cítrico? Tudo era verde cítrico na capa das revistas e nas lojas de roupa. Pois então, eu sou visualmente influenciável.) Então… a sala era dessa cor e o quarto era vermelho. Quando eu saía da sala e entrava no quarto, a minha cabeça chegava a doer.
Com o passar do tempo, eu fui criando um apego a tons off White para as paredes (de tanto ver blogs como HouseofTurquoise e YoungHouseLove, provavelmente) e assim, fica difícil de errar. Mas mesmo com tons fortes, se houver harmonia entre as cores de todas as peças, o resultado fica bem mais interessante. Isso pra mim, pessoa fã de casas-de-vó e de campo, e não de apartamentos high tech urbanos.

Share This:

Sobre o blog

O du-bop começou em 2011 (se não me falha a memória). O plano sempre foi de um blog pessoal, mas eu sempre acabo falando sobre arte e arquitetura.

Com a função da minha gravidez dupla, eu acabei deixando o blog de lado. (um dia eu conto o quanto era complicado fazer qualquer coisa grávida de gêmeos, inclusive achar uma posição confortável para teclar no computador).

Mas, deu saudade!

Por mais que eu saiba muito menos do que eu gostaria de saber sobre PHP/CSS e afins (se é que eu sei alguma coisa), eu gosto dessa função e o blog também é uma maneira de aprender e uma desculpa pra brincar com o photoshop.

Falando em photoshop, com 2 bebês de quase 8 meses em casa e um trabalho que consome cerca de 12 horas do meu dia, é bem complicadinho começar um layout todo do zero. (É complicado tomar banho todo dia e comer sentada também). Encontrei na net um site que eu fiquei fã. Ele disponibilizou para download o psd de um layout muito lindo e eu baixei e adaptei pra mim (roubando descaradamente os elementos que eu demoraria muito tempo pra fazer passo a passo… mas acho que podia, né? Deixaram ali pra dowload…)

Enfim, aqui vai a fonte:

retro layout

Tudo que tiver cara de vintage e for texturizado vai chamar a minha atenção, sempre!O problema com o layout que eu fiz pra mim é o cor-de-rosa. Quando ele ficou pronto, eu já tinha cansado. Ótimo.

Já o tema do wordpress, é o Stubborn, que é um template gratuito e é esse aqui:

stubborn theme

É… eu dei uma mudadinha.

E, por fim -por enquanto- eu tenho altos planos de aproveitar esses loguinhos de flores, que também têm o PSD disponível e eu achei muito bonitinhos. Achei uma boa ideia pra fazer convites, adesivos identificadores e coisas do gênero:

flower

 

Espero que dessa vez o blog tenha vida longa!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Share This: