Casas de filmes

Separados pelo casamento – “The Break-Up”

Separados pelo casamento é um filme ruim. Não é engraçado o suficiente pra ser uma comédia e não tem trama o suficiente pra ser um drama – na minha opinião. Mesmo assim, eu devo ter assistido a esse filme pelo menos umas 3 vezes porque ele tem um personagem que eu considero maravilhoso: o apartamento.

Dessa vez, a cidade que a gente encontra do lado de fora na história é Chicago:

O apartamento é moderno mais não “demais”. Ou seja, ele tem aspectos contemporâneos mas não é essencialmente “clean” nem tem todas as linhas retas como a maioria dos apartamento que tentam ser modernos nos são apresentados.

Uma coisa legal é que por todos os lugares, existem várias referências à arte e esboços, já que a personagem da Jennifer Aniston trabalha em uma galeria de arte.

Eu gosto também da maneira como os quadros não mantêm um padrão no quesito “tema” mas a moldura de madeira está presente em todos os quadros de diferentes tamanhos e cores, trazendo unidade a eles.

A cozinha deles é uma coisa muito bonita e a minha parte preferida do apartamento. Ela é um pouco menos moderna e mistura o azul que todo mundo ama com branco, mas sem ficar “limpa” demais, que passaria uma sensação de que o ambiente não é usado realmente. Sabe casa de revista com papel de parede no fundo da churrasqueira? Isso não existe na vida real. Por isso eu prefiro as casas de filmes, que normalmente nos dão uma prévia de como os ambientes realmente ficarão durante o dia a dia, com fotos reais na geladeira e tudo!

O balcão da pia parece ser feito com azulejos – ou um parente próximo – se aquilo ali realmente é feito com rejunte, eu tenho minhas dúvidas quanto à limpeza do lugar. Mas, nunca vi feito e não tenho certeza. Na minha casa, eu não faria! A cor é linda, só.

Nessa cena, aparece bem o local onde fica a porta de entrada do apartamento.

Eu tenho minhas dúvidas sobre onde fica o banheiro, até porque a gente mal consegue dar uma espadinha nele e ele não é lá uma brastemp… um pouco me lembra o banheiro da Carrie em “Sex and the city” pelo tipo de louça.

O padrão do azulejo também é antigo, pequenino e realmente parece que o foco do filme não era ter um banheiro super-legal como a sala de jantar:

Eu já devo ter mencionado aqui, mas vou repetir porque acho super interessante o quanto várias casas na américa do norte não possuem iluminação de teto central. Elas têm, no máximo, uma luz vinda de cima que cai sobre a mesa de jantar.

Segundo relatos, existe um grande temor quanto à iluminação artificial vinda de cima diretamente nas pessoas por ser algo potencialmente cancerígeno. Por isso a gente vê uma coleção de abajures nos filmes! Inclusive, o interruptor principal da sala e do quarto liga e desliga uma tomada já com o propósito de ligar e desligar todos os abajures ao mesmo tempo quando as pessoas entram e saem das peças!

Pra mim que adoro abajur, tá ótimo!

A sala parece menor no filme do que parece nas fotos, reparem:

 

SIM!

Muito da magia do apartamento se perde quando a iluminação “de filme” é substituída pela iluminação da vida real. Decepcionante, como em muitas outras casas! Mas eu gosto dessas fotos porque com elas fica bem fácil de entender o layout do apartamento – que não tem muito mistério.

Aqui, mais algumas cenas que eu gosto de captar pra pegar detalhes como o tipo de piso, o tipo de abajur e arandelas pela casa, a estampa do sofás e a coisa que eu procuro em todas as casas: a escrivaninha.

Essa não é uma das minhas preferidas, mas, sendo a aficcionada por papelaria que eu sou, eu gosto sempre de “pesquisar” o que anda pelas escrivaninhas por aí!

Notei também que eles têm bastantes plantas espalhadas pela casa. Eu gosto de plantas artificiais (eu sei, é horrível) porque elas ficam sempre ali!

A última peça que aparece é o quarto, mais uma vez com mesinhas laterais diferentes uma da outra – que é algo recorrente. E um papel de parede super carregado em apenas uma parede – que parece ser uma tendência que surgiu lá por 2005 e resolveu ficar.

Eu sou a-loka do papel de parede e certamente vou colocar papel de parede na minha casa inteira, assim que eu tiver uma casa inteira!

Como eu avisei que era um filme ruim, aqui as últimas cenas. O apartamento vazio:

O filme é de 2006 e até hoje as tendências não mudaram tanto assim e o apartamento continua bem contemporâneo.

Uma coisa bem importante é o quanto as paredes e a mobília fixa são neutro. Isso facilita bastante na hora escolher os móveis e acessórios.

Normalmente, branco não é a minha primeira escolha pra móveis, mas quando o piso é escuro como esse, é uma boa escolha até pra quem não é adepto porque ele evita que o ambiente fique claro demais a ponto de parecer monocromático. Fora que marrom é uma cor muito acolhedora e quente, assim como tons de madeira em geral.

Alguém mais tem vontade de mobiliar o apartamento quando vê ele vazio? Eu tenho!

Era isso pra “Separados pelo Casamento” (sendo que eles nunca casaram no filme!)! Até o próximo!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Share This:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *