Canada

Vem pro Canadá você também…

Obviamente, várias pessoas têm me perguntado sobre como nós viemos para o Canadá por terem o interesse em vir pra cá também.

Vou fazer uma explicação muito sem detalhes pra dar uma ideia, porque eu não sou a mais técnica das pessoas e eu bocejo em parágrafos grandes.

Mas o Canadá quer os Brasileiros, afinal? Sim, com certeza. O Canadá é um país formado por imigrantes. Quando nós colocamos o pé na rua, é até difícil passar por pessoas falando inglês, se elas estão conversando entre membros da família (aqui na região de Toronto, óbvio. No interior, a coisa muda de figura)!

A questão é que o Canadá, apesar de querer imigrantes não quer QUALQUER pessoa aleatória. O país procura um perfil específico.

O Canadá quer pessoas de todos os locais do mundo que se encaixem nesse perfil:

  • preferencialmente formadas há cerca de 5 anos;
  • com experiência na profissão;
  • que fale inglês fluente e cujo esposo/esposa também fale inglês fluente;
  • tenha menos de 35 anos;
  • filhos menores de 10 anos;
  • se falar francês e inglês, melhor ainda;
  • com proposta de emprego dentro do país, a coisa facilita muito;
  • sem dívidas;
  • com dinheiro livre (não valor em bens) para adaptação dentro do país; – o governo Canadense determina quanto dinheiro tu precisas ter pra adaptação e ele é baseado no tamanho da tua família.
  • quanto mais faculdades e mais fundo fores nos estudos, melhor!

E se eu não tenho tudo isso, Shell?

O eliminatório da lista é o nível superior, Inglês fluente e o dinheiro disponível. Acredito que, pelo novo sistema de imigração, depois de teres esses 3 ítens, com uma proposta de emprego as portas se abram.

O teste de inglês que deve ser feito (pode ser a primeira coisa a ser feita) é o IELTS acadêmico. Eu não gostei do IELTS porque sotaque britânico não é a minha preferência, então, eu sugiro muito Harry Potá pra acostumar o ouvido!

Essa página aqui mostra os locais em que as provas são realizadas no Brasil: http://takeielts.britishcouncil.org/locations/brazil

Nós viemos por um programa chamado Federal Skilled Worker , que já não existe mais da maneira que era. Por isso, eu não sei detalhes do programa novo, o “Express Entry” e não quero ficar opinando muito sobre ele pra não falar asneira.

A página oficial do governo sobre este programa de imigração que foca em pessoas com nível superior, jovens e com inglês fluente é http://www.cic.gc.ca/english/express-entry/

Quando nós viemos, contratamos os advogados do canadavisa.com pra nos ajudarem com a papelada. Eles são muito bons (e chatos de tão detalhistas). Pra gente, funcionou!

O primeiro passo, pra ter uma ideia se o teu perfil se encaixa no que o Canadá busca, pode ser calcular os pontos na calculadora. Essa aqui: https://www.canadavisa.com/comprehensive-ranking-score-calculator.html é a do site dos advogados que nós contratamos.

Após o preenchimento online do questionário deles, recebemos uma ligação onde eles nos informaram que tinhamos o perfil pra imigrar e que eles gostariam de ser nossos representantes.

Foi super esquisito receber uma ligação vinda do nada pedindo uma quantia substancial de dólares que seria enviada pra pessoas que não conhecíamos. Pra minha sorte, eu confio nas pessoas (até nas que não merecem) e deu certo!

Ouvi falar de vários outros representantes que acabaram colocando o pessoal numa furada por não conhecerem bem as regras do processo, então, sempre busquem referências na hora de contratar alguém.

Depois disso, eles pedem a papelada de toda a tua vida, por isso esperamos as gurias nascerem pra dar continuidade ao processo. Engravidar no meio do processo é SUPER complicado. Atrapalha toda a papelada… uma zona. Engravidem antes ou depois, tá? hahaha. Só um conselho!

Então, as gurias nasceram e nós aplicamos os 4, como uma família. Eu fui a principal aplicante e o visto é familiar. Ou seja, todo mundo entraria no Canadá com o mesmo status (não, eu não sei falar status em português).

Enfim, a única diferença do principal aplicante pro esposo/esposa é que ele tem a responsabilidade de tirar nota mais alta no IELTS. Na nossa época, eles aceitavam que o esposo tirasse apenas 5 no mínimo em cada uma das 4 provas pra contar pontos. Pra decidir quem será o principal aplicante, vale passar os dados do casal pro representante ou usar a calculadora -se não for assim, tão óbvio.

Muita gente faz o processo sem contratar ajuda – e se saem super bem – mas eu tinha gêmeas recém nascidas. Tá explicado?

Depois de passar no IELTS, juntar a papelada e enviar começa a *roeção* de unha. E HAJA unha.

Mandamos os papeis dia 15 de Agosto e a nossa PER (que é o primeiro OK que tu recebes do governo Canadense) veio dia 8 de Dezembro.

Depois da PER, o segundo OK é o pedido de exames médicos. O nosso pedido veio dia 30 de Dezembro -se eu não me engano-.

Fizemos os exames dia 11 de Janeiro, em Porto Alegre porque o médico tem que ser aquele aprovado pelo Canadá.

Depois que os seus exames médicos estão OK, é só esperar que peçam seus passaportes e eles chegam na tua casa com o visto! Os nossos chegaram dia 11 de Fevereiro!

O visto que nós recebemos é o de imigrante e ele só permite uma entrada (até porque é meio difícil imigrar mais de uma vez).

No final de tudo, já no aeroporto do Canadá, tu ainda corres o risco de alguém suspeitar de alguma coisa – principalmente se tu estiveres fazendo ou trazendo algo suspeito – e a tua entrada no país ser negada.

A gente morria de medo de esquecer algum papel ou perder dinheiro no meio do caminho e alguma coisa dar errada nos 53 do segundo tempo.

Mas nah…

Chegamos em casa, finalmente com o status (de novo “status”) de residente permanente.

O residente permanente não é um cidadão canadense, mas ele tem quase todos os direitos e obrigações. As que eu acho mais importantes são o fato de que nós não podemos votar e, caso um residente permanente seja condenado, ele é mandado pro seu país de origem (ou pode ser mandado, não sei se ele É MANDADO por qualquer coisa)!

Ah, o residente permanente também não pode ficar dando banda fora do Canadá por muito tempo senão ele não volta!

Tem gente que mora no Canadá há 20 anos e continua sendo residente permanente porque escolheu assim! A gente pensa em pedir cidadania quando o tempo chegar!

Agora, o tempo pra pedir cidadania é de 4 anos dentro do país. Mas, sobre isso, eu ainda vou descobrir depois!

Quero todos os meus amigos aqui! Alguns já estão providenciando (vocês sabem quem vocês são) e eu to torcendo horrores, pegando currículos e fazendo o que eu posso pra ajudar.

A gente não sente falta do Brasil (nós nunca fomos os mais brasileiros da banda) mas eu notei que todas as pessoas que a gente conheceu no processo tinham essa coisa de não se identificar com o Brasil muito forte dentro delas. E, mesmo assim, deixar tudo que tu conhece pra trás é uma decisão bem difícil. Chegar numa cidade nova, sem uma referência, sem um amigo… a gente se sentiu bem perdido (literalmente, de caminhar até a esquina e ficar com medo de se perder – NÃO, O GOOGLE MAPS DO CELULAR NÃO ESTAVA FUNCIONANDO AINDA -) mas não trocaríamos isso aqui por nada!

Eu decidi vir pra cá há 20 anos. Demorou, mas valeu a pena.

Não acordem com a cabeça quente, indignados com a Dilma com o fato de que querem tirar a Dilma e resolvam DO NADA que vão embora do país… entende o que eu quero dizer? Imigrar não é pra fogo de palha. É pra quem nasceu no lugar errado.

Boa sorte, amigos!!!

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Share This:

1 thought on “Vem pro Canadá você também…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *